quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Eu tenho gatos e estou grávida !

Na minha primeira consulta com a obstetra ela descobriu que eu sou veterinária e rapidamente perguntou “Você tem gatos?” Eu respondi “Sim, a senhora está preocupada com a Toxosplasmose?” Ela respondeu que sim e confesso que não deixei ela concluir.

O gato é conhecido como o vilão desta doença, porém existem outras formas de contrair a Toxoplasmose.

A toxoplasmose é causada pelo protozoário Toxoplasma gondii, ele pode acometer todos os mamíferos e também as aves. os felinos são os hospedeiros definitivos, ou seja, fazem o ciclo completo da doença, são eles que eliminam a forma contaminante da toxoplasmose, os oocistos.

Os gatos são contaminados ingerindo carne crua contaminada, que pode ser oferecida por nós humanos mas principalmente por aqueles gatinhos de vida livre que sobrevivem de caça e aqueles de fazenda que vivem apenas de comer os ratos.

Opa, tenho que dar meu gato!!

NÃO!!! O contato com o gato não resulta em perigo, pois a forma contaminante, os oocistos não ficam aderidos ao pêlo, e estas formas demoram dois dias para se desenvolver, estes oocistos desenvolvem-se apenas nas fezes.*

Resumindo, você que esta grávida não pegará toxosplasmose fazendo carinho, pegando ele no colo, ou convivendo com o seu gato.

O perigo para nós humanos está em comer carnes mal passadas e cruas, verduras cruas não lavadas e água contaminada.

A caixa de areia do seu gatinho deve ser limpa diariamente para evitar o desenvolvimento da forma infectante.

Administrar apenas ração para o seu gato é uma forma de prevenir a contaminação pelo toxoplasma.

Coma apenas carnes bem cozidas, verduras de procedência conhecida e água sempre mineral, filtrada ou fervida.

Eu hoje estou grávida de 10 semanas e convivo normalmente com meus 3 gatos. Converse com o veterinário do seu gato, ele irá examinar o seu bichano e te deixar ainda mais tranquila, curta junto com o seu bichano este momento lindo de nossa vida. Uma das minhas gatas deita diariamente ronronando na minha barriga, falo que ela esta ninando meu bebe! Coisa mais fofa!

Para saber mais sobre a Toxosplasmose vale a pena ler este material produzido pelo CRMV-SC . Clique aqui.

*Dubey J.P.2000. Sources of Toxoplasma gondii infection in pregnancy.British Medical Journal, 32:127-128

sábado, 11 de junho de 2011

Chimpanzés têm consciência de si mesmos


Característica é semelhante a que existe nos seres humanos, segundo estudo

Os chimpanzés têm "consciência de si mesmos" e, como os seres humanos, essa consciência está ligada à capacidade de antecipar os efeitos das próprias ações sobre seu entorno, diz uma pesquisa cujos resultados foram publicados nesta terça-feira (3) pela revista britânica Proceedings of the Royal Society.

Como provas, os cientistas mostram que três chimpanzés fêmeas colocadas na frente de dois cursores completamente idênticos são capazes de identificar na tela de um computador qual dos dois podem controlar com o mouse.

Muitos cientistas já haviam falado sobre a capacidade de certos animais, em particular os grandes símios (macacos), de se reconhecer em um espelho. A prova mais utilizada é pintar uma marca em seu corpo que não pode ser vista se os animais não se olharem no espelho, e depois fazer com que eles se observem no espelho e tentem apagá-la ou não.

O teste do espelho provava as capacidades cognitivas dos macacos, mas a controvérsia persistia sobre os mecanismos que os permitiam identifiar a si mesmos, dada a impossibilidade de compará-los com os dos humanos.

Nos humanos, a capacidade de se reconhecer como agente independente, com efeito sobre o entorno, procede sobretudo da capacidade de relacionar o resultado esperado de uma ação com o resultado efetivamente produzido.

Por exemplo, em um jogo de videogame no qual participam vários jogadores, atividade que permite a cada jogador determinar rapidamente qual personagem controla entre os que se movem na tela.

Isso pressupõe uma capacidade de prever os efeitos de suas próprias ações, de comparar os efeitos das próprias ações com os resultados obtidos e de deduzir que "sou eu quem controla isso", afirmam os autores da pesquisa.

Os chimpanzés submetidos ao teste do espelho conseguem se reconhecer e apagar a pintura em sua pele inclusive se sua imagem for deformada por espelhos côncavos ou convexos, o que sugere que essa consciência de si próprios remete mais à análise de suas ações do que à de seu reflexo.

Mas alguns cientistas consideram que isso não prova que os macacos tenham uma "consciência de si mesmos", já que alguns símios poderiam simplesmente ter aprendido a associar determinada ação com um resultado específico.

Para dissipar as dúvidas, dois especialistas japoneses em primatas, Takaaki Kaneko e Masaki Tomonaga, da Universidade de Tóquio, tentaram saber se os chimpanzés conseguem diferenciar as ações originadas por eles e os acontecimentos idênticos, mas que escapam totalmente ao seu controle.

Três fêmeas foram treinadas para que pudessem movimentar um cursor em uma tela com um mouse. Uma vez familiarizadas com a utilização dessa ferramenta, apareceram na tela dois cursores de tamanho, forma e cor idênticos: um controlado pelo mouse, o outro por uma simples gravação do cursor movimentado pelo mesmo animal em dias anteriores.

Ou seja, a única maneira de que o chimpanzé pudesse identificar o cursor que ele controlava era confrontar sua ação com o resultado percebido na tela.

Segundo os cientistas japoneses, os testes são conclusivos e demonstram que os chimpanzés analisam os efeitos de suas ações sobre o mundo exterior. Testes complementares indicam, inclusive, que integram uma dimensão ao mesmo tempo espacial e temporal nessa análise.

- Os resultados sugerem que os chimpanzés e os humanos compartilham os mesmos processos cognitivos fundamentais.

Pets terapeutas levam alegria à clínica de idosos no Rio


Além de muita diversão, cães estimulam a prática de exercícios fisioterápicos


Os idosos da Clinica Geriatria La Vivencia, na Tijuca,Rio de Janeiro, receberam neste sábado(14) um visita especial em quatro patas. Treze cães do Projeto Pêlo Próximo, passaram uma tarde com cerca de 60 idosos da instituição com diversos tipos de patologia e receberam muito carinho dos pets terapeutas caninos. Entre lambidas e afagos, os voluntários do projeto realizaram diversas atividades com os idosos, estimulando os exercícios fisioterápicos com pés e mãos, como a massagem no cão e escovação de pelos. No final da visita, os voluntários realizaram uma sessão de musicoterapia, acompanhados dos idosos do La Vivencia.“-Tivemos uma tarde maravilhosa.Os idosos interagiram com nossos pets terapeutas e conseguimos realizar diversos exercícios de uma forma lúdica. Eles brincaram, cantaram e se exercitaram com a ajuda dos animais” – finaliza Roberta Araújo, coordenadora do Projeto Pêlo Próximo.

Criado em 2009, o Projeto Pêlo Próximo – Solidariedade em 4 Patas, visa levar alegria e descontração, além de contribuir na recuperação da saúde de idosos, pessoas portadoras de necessidades especiais e crianças que estão em tratamento contra o câncer. Extremamente dóceis, os cães terapeutas estão sempre com a vacinação e vermifugação em dia, e perfeita condições psicobiológicas. Além dos 40 cachorros e 2 calopsitas que compõem o staff de ‘terapeutas’, o projeto conta com o apoio de voluntários veterinários, psicólogos, médicos e terapeutas ocupacionais.

As visitas com os animais têm como objetivo proporcionar atividades para trabalhar e estimular o raciocínio dos pacientes. A próxima visita dos cães terapeutas, acontece no próximo sábado (21), na Casa Emilien Lacay – Cruzada do Menor em parceria com o E-solidário, e contará com a participação dos idosos e crianças da Instituição.

Para conhecer o trabalho filantrópico do Projeto Pêlo Próximo, visite nosso site: http://www.peloproximo.com.br/

Saiba quem é autor da lei que permite tortura e sacrifício de animais em rituais religiosos


O Deputado Edson Portilho, do Rio Grande do Sul, teve a desventura de criar um projeto de lei que permite que os animais sejam torturados e sacrificados em rituais religiosos.

O parlamentar, sabendo que os protetores dos animais se manifestariam, fez a seguinte trama: marcou a apresentação para votação da lei num dia de julho, mas fez um chamado urgente e marcou a reunião às pressas, mais cedo. Os únicos avisados foram os demais deputados. Ou seja: não havia defesa.

Os animais não tiveram oportunidade de ter pessoas que os representassem. Quem poderia responder por eles? E aconteceu o que mais temíamos: houve 32 votos contra os animais e apenas 2 a favor. Os animais agora poderão ter olhos e dentes arrancados e cortados em vários pedaços para fazer o tal Banho de Sangue. Os animais que não servem mais para o ritual são mortos a sangue frio, conscientes e sem qualquer anestesia.

Por isso, vamos garantir que o deputado nunca mais consiga se reeleger. Divulgue, para que Edson Portilho não se eleja para mais nenhum tipo de cargo.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

O Canil Ideal


Quando pensamos em construir um canil,

devemos considerar além do espaço físico, o isolamento, a ventilação, a limpeza e manejo. Sempre que possível, a construção no sentido leste-oeste é a mais indicada. Desta forma o sol incidirá metade do dia na área coberta do canil e a outra metade no solário ou “quintal”. Assim o animal poderá permanecer parte do dia na área externa protegido, à sombra.

A área externa, ou solário, deve ser feita de alambrado ou grades. Estes materiais permitirão uma melhor ventilação e o cão poderá ver o que acontece ao redor e “distrair” sua mente.

O piso deve ser ligeiramente áspero para não escorregar, principalmente quando estiver molhado, mas nem tanto a ponto de reter sujeira. O cimento queimado é um bom exemplo a ser utilizado. O animal passará a maior parte do tempo nessa área, e o piso certo evitará complicações, como problemas articulares e displasias (veja matéria sobre displasia coxo-femoral).

Na área interna, piso frio e azulejos nas paredes facilitarão a limpeza e o controle de parasitas. O pé direito da cobertura com altura de 2 (dois) metros acima, permitirá um maior conforto térmico e facilidade no manejo. Uma torneira e dois ralos (interno e externo) serão bastantes úteis na hora da limpeza.

A porta deverá ser feita com material resistente para o animal não danificá-la facilmente. Madeira maciça é recomendada, pois, além de resistente abafa sons. A portinhola interna, em sistema de guilhotina, permitirá que o cão fique fechado no lado de fora enquanto o interior do canil esta sendo limpo, e vice-versa. Esse sistema de abre-fecha com cabo e roldanas, nos permite fechar o animal em um ou outro compartimento, mesmo estando fora do canil. Isso também é muito útil para cães bravos, pois qualquer pessoa poderá tratar (oferecer água e comida) e limpar o canil.

A água e a comida colocadas na parte coberta estarão protegidas da chuva e sol e incentivarão instintivamente o animal a ‘sujar’ a área externa, que após a limpeza secará rapidamente pela ação do sol e vento.

Os cães, quando maduros suficientes para controlar os esfíncteres de bexiga e intestino, são animais higiênicos e preferem manter o local onde dormem e se alimentam sempre limpos. Por fim, uma muda de Neen indiano, plantado do lado oeste do canil, proporcionará frescor no período da tarde, alem de ação repelente contra insetos. Touceiras de citronela, plantadas ao redor do canil intensificarão a ação repelente.

Por Dimas Meinerz


Evitar alterações na rotina previne intoxicações


Pessoas diferentes cuidando do animal de estimação, mudanças, reformas e construções podem expor cães e gatos a substâncias tóxicas. Cães e gatos são curiosos como as crianças: tudo querem tocar, sentir o cheiro e o gosto.
A brincadeira aparentemente inofensiva, entretanto, pode colocar o animal em risco quando a rotina da casa é alterada com freqüência. Isso porque os animais podem ficar mais susceptíveis a acidentes que envolvem produtos químicos de uso doméstico, como os de limpeza e os inseticidas. Esses produtos, venenosos, podem causar intoxicação em cães e gatos, quando ingeridos ou quando existir o contato entre a pele do pet e a substância tóxica.

"Muitas vezes a intoxicação pode ser acidental. O animal é envenenado dentro de casa por algum descuido do proprietário. Isso ocorre quando o pet tem contato ou ingere produtos utilizados para diversas finalidades domésticas, como desinfetantes, detergentes, inseticidas, venenos para matar baratas e ratos ou algum tipo de medicamento", alerta a veterinária da Vetnil, Isabella Vincoletto.

Segundo a médica, também é preciso prestar atenção às plantas dentro de casa, que não devem ser venenosas ou conter agrotóxicos, já que, por natureza, cachorros comem grama e matinhos.

Vale ressaltar que, ao perceber que um animal está envenenado ou intoxicado, deve-se levá-lo ao veterinário imediatamente. Algumas medidas podem ser tomadas antes ou durante o trajeto para auxiliar o salvamento do pet, como o uso do carvão ativado. Essa substância está presente no medicamento Enterex, da Vetnil, e tem poder adsorvente, impedindo a absorção das substâncias tóxicas, eliminando-as do organismo pelas fezes. Além do carvão ativado, o Enterex apresenta em sua composição a pectina e o caulim, substâncias com ação protetora sobre a mucosa intestinal.

Provocar o vômito pode ser útil somente em alguns casos de intoxicação, o que pode ser induzido com o uso de sal de cozinha (1 a 3 colheres de chá por via oral) ou com água oxigenada doméstica (5 ml por via oral). Caso o envenenamento tenha sido causado por uma substância corrosiva (ácidos ou bases fortes) ou substâncias derivadas do petróleo (querosene), o vômito NÃO deve ser estimulado.

Também é importante lembrar que no caso de contato da pele ou dos olhos com uma substância tóxica, recomenda-se lavar abundantemente a região afetada com água limpa e procurar um veterinário de confiança.

Sobre a Vetnil
Fundada em 1994, a Vetnil está entre os cinco maiores laboratórios brasileiros de produtos veterinários e é líder no mercado nacional de eqüinos. A empresa é fabricante de suplementos alimentares que garantem a saúde nutricional e a qualidade de vida de animais domésticos e reprodutores, além de aumentarem a performance de animais atletas. Entre seus produtos estão suplementos e medicamentos para pets (caninos, felinos, aves ornamentais, pássaros e roedores), avestruzes, bovinos, eqüinos, ovinos, caprinos e suínos. Recentemente, a empresa conquistou prêmios importantes promovidos pela imprensa brasileira, dentre os quais o de "Empresa que mais cresceu em 2005 no setor veterinário" (Anuário Exame Agronegócio 2006-2007), o de "Melhor empresa do setor de produtos veterinários (Anuário do Agronegócio 2006, da Revista Globo Rural), além de ter figurado entre as "100 Melhores empresas para se trabalhar no Brasil (Revista Época) e entre as "30 Melhores empresas para a mulher trabalhar 2006" (Revista Época).

sexta-feira, 4 de março de 2011

Algumas Imagens de Procedimentos realizados na Clínica Veterinária Praia dos Bichos


Tumor de pênis


Tumor de pênis após cirurgia reconstrutiva






Urólito



Múltiplos Urólitos










Doença Periodontal (Antes e Depois da Tartarectomia)



















Cão que atacou ouriço e se deu mal !!!